Cibercriminosos usam Olimpíada para disseminar ataque virtual




A ESET, fornecedora de soluções de segurança, identificou novos ataques virtuais, que aproveitam o aumento do interesse das pessoas pelos Jogos Olímpicos de Londres para disseminar malwares (códigos maliciosos) ou spams. Trata-se de sites ou aplicativos falsos, que prometem a transmissão, em tempo real, da Olímpiada pela internet.

NewImage

Quando o usuário busca por páginas para assistir a transmissão de algum evento ao vivo por meio da Internet, geralmente ele é direcionado a blogs onde se encontra o reprodutor do sinal – em muitos casos blogs com spam, pelo qual o criminoso obtém lucro enganando os usuários. Outro tipo de site comum é aquele que o usuário acessa buscando a transmissão ao vivo de algum evento olímpico, fazendo o download automático de um código malicioso.

“É importante ressaltar a crescente profissionalização dos cibercriminosos na elaboração desses sites”, afirma Camillo Di Jorge, Country Manager da ESET Brasil “Uma vez que seu objetivo é obter lucros, as interfaces gráficas desses sites são cada vez mais detalhadas, o que faz com que o usuário não desconfie e o acesse, dando início automaticamente à tentativa de download de uma variante do malware”, completa o executivo.

“Para não cair nesses golpes é necessário que o usuário esteja muito atento a onde clicar e quais links acessar a partir dos resultados que aparecem nos buscadores”, afirma Raphael Labaca, coordenador de Pesquisa da ESET América Latina. “O mais recomendável é entrar diretamente no site da organização dos eventos para ver quais são as páginas autorizadas a distribuir oficialmente o sinal em cada região”, diz.

Além desse tipo de ameaça, é importante que o usuário tenha em conta outros vetores de propagação de códigos maliciosos muito utilizados durante esse tipo de evento. Um foco importante são os dispositivos móveis, para os quais surgem aplicativos em abundância, a fim de proporcionar o acompanhamento dos jogos. Nesse caso, algumas alternativas seguras são o uso dos portais oficiais, além de baixar os aplicativos oficiais do evento diretamente da página oficial da organização.

“Eventos com uma repercussão mundial representam um desafio para o usuário, já que a falta de boas práticas no uso da Internet pode trazer consequências negativas”, acrescenta Raphael. “Portanto, a responsabilidade ao navegar e o uso de ferramentas que ofereçam segurança são a primeira linha de defesa para a sua proteção”, conclui.

Para mais informações, acesse o site www.eset.com.br ou o blog http://blogs.eset.com.br/laboratorio/




Artigo Anterior

Leia Também


Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>