Adobe Flash subiu no telhado




FlashDead

Adobe anunciou no mês passado que iria descontinuar o desenvolvimento do Flash para dispositivos móveis. Os motivos são diversos, porém o que todos gostam de dizer é que a Steve Jobs conseguiu o que queria. Matar o Flash no mundo móvel.

Em 2007 a Apple colocava no mercado a primeira geração do iPhone. Anunciado em janeiro daquele ano e comercializado a partir de junho em mercados selecionados, o iPhone veio para transformar um mercado que estava à deriva e sem foco, pulverizado com poucas inovações e com estratégia de ser um desktop móvel. Tudo errado depois que a gente descobre o que é o correto.

Após o iPhone e todos os conceitos que ele trouxe o mercado passou a copiar a Apple. Nesta época Flash era rei no desktop. Muito se falava que o Flash era mandatório no dispositivo móvel, contudo, a Apple, comprometida com sua visão de futuro, disse que o Flash não seria aceito dentro de seu ecossistema. Claro que a decisão não foi baseada em algum fundamento técnico e tenho certeza que nos bastidores muitos testes e experimentos foram realizados e que na prática, o Flash rodando nos dispositivos da Apple tornavam o seu equipamento muito menos eficiente do que o seu consumidor esperava.

A alternativa ao Flash no mundo móvel é o HTML5, e a Apple puxou bastante o desenvolvimento mostrando como se faz coisas fantásticas sem o Flash da Adobe ditando a norma. A Apple se recusou a dar suporte ao Flash, mas o Android o suporta. Diz-se que o Android agora é o sistema operacional móvel mais usado no planeta, ainda assim, isto não foi suficiente para manter o Flash no mundo móvel.

Mike Chambers, que é uma figura central no mundo da Adobe em relação ao Flash, publicou uma longa explicação para melhor detalhar os motivos que fizeram com que a Adobe abandonasse o Flash no mundo móvel. Entre os motivos estão:

  • HTML5 é foco da Adobe
  • Desenvolvimento de plug-ins para dispositivos móveis requer um esforço maior que o desejado e também integração muito grande com o desenvolvedor do sistema operacional
  • Flash não é tão relevante no mundo móvel como no desktop por conta da App Store, latência de rede, tamanho de tela e poder de processamento

Não listei acima, mas um dos motivos listados como sendo um dos principais para a Adobe é o fato da Apple não ter permitido o Flash em seu "ambiente".

Apesar de o Flash ter morrido no mundo móvel e a Adobe dizer que com este assunto muito bem resolvido, já que ela oferece bastante ferramentas para criar soluções com HTML5 e Flex, o futuro do Flash ainda está nebuloso. Apesar da Adobe estar comprometida com o Flash no desktop no longo prazo, o mercado certamente vai pensar duas vezes antes de criar uma solução baseada em Flash no desktop e HTML5 para os dispositivos móveis. O esforço de desenvolvimento e manutenção é alto demais.

O fato da Adobe admitir que subestimou o Flash móvel, pode dar indicações que no futuro o Flash deixe de existir no desktop também. Flash deixou de ser relevante e necessário. Seu único peso hoje é ter mercado conquistado ao longo dos anos e a quantidade de profissionais que são capazes de gerar soluções usando Flash. Com o tempo HTML5 também será rei.

Se você estiver pensando em algum produto ou solução de longo prazo, aposte em HTML5, caso seja de curto prazo, vá de Flash que é mais barato, conhecido e seguro, apesar de não funcionar nos tablets e smartphones mais relevantes.

Via Mashable.




Leia Também


Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: