Apple TV renovado




Eu sempre me interessei muito pelo Apple TV, mas em algumas poucas ocasiões, Tio Steve explicou que o Apple TV nunca foi um produto revolucionário como o iPhone. As barreiras e dificuldades neste nicho de mercado são enormes, mas apesar disto, a Google conseguiu entrar na briga e na maneira correta. O Google TV é mais um middleware para caixas de operadoras de TV por assinatura e a Apple não pretende fazer isto.

Ao invés disto, ela criou um dispositivo onde você pode consumir conteúdo audio visual através da Internet. Ao invés de se associar com as operadoras, a Apple está disputando espaço com elas. Muito mais rápido e prático. Se o Apple TV de primeira geração tinha um HD interno para armazenar os filmes e episódios comprados, o modelo do Apple TV mudou completamente.

Agora o lance é alugar o conteúdo e por isto nada mais de HD. Através do Apple TV só streaming de video e fotos e a única maneira de gastar dinheiro através dele é alugando conteúdo. Se você quiser comprar alguma coisa, tem que comprar através do computador e armazenar o conteúdo nele.

Por conta da falta de armazenamento, agora o Apple TV passou a ter um quarto do tamanho do anterior. Na sua traseira são apenas alguns conectores. Primeiro, não precisa de fonte externa como o Mac Mini tinha anteriormente. É só um cabo que o liga diretamente à energia elétrica. Completam a traseira conectores ethernet, mas tem WIFI 802.11n, HDMI, micro USB (apenas para atualização de firmware e outras atividades de manutenção) e saída de audio ótica TOSLINK.

Na frente existe o receptor para o controle remote infra vermelho da Apple. Eu gostei muito do novo formato, a única coisa chata é o que já me incomodava na geração anterior do equipamento. O Apple TV é apenas 720p. Por que não 1080i? Será limitação do processador A4 que é o coração do Apple TV? O fato de ter este processador dá dicas de que no futuro ele possa rodar iOS e aumentar a capacidade para rodar aplicativos desenvolvidos diretamente para ele.

Claro que ele está disponível apenas nos países onde a loja iTunes permite adquirir conteúdo audio visual, o que não é o nosso caso. Lá ele custa apenas 99 dólares e o aluguel de séries de TV ficam por 99 centavos de dólar. Já filmes em 720p em lançamento custam 5 dólares e títulos normais ficam por 4 dólares. Se o filme não for HD, o custo cai para 4 e 3 dólares respectivamente.

Fato relavante é que para mostrar conteúdo protegido por DRM, requer que a TV aceite conteúdo com HDCP, que é um esquema de proteção de conteúdo.




Próximo Artigo

Leia Também


Deixe um comentário

1 Comentário

  1. É uma pena apenas não podermos aproveitar ele aqui no Brasil, e termos que pagar mensalidades altíssimas de TV a cabo para assistir filmes e seriados com baixa qualidade e ainda sermos engolidos por comerciais.

    Responder

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: