iLife ’11




O pacote iLife é uma mão na roda e muito mais prático do que muito pacote que existe hoje em qualquer plataforma. Ele é barato e realmente capaz de gerar ótimos “produtos” de audio/video.

São várias novidades nos programas que formam o pacote, mas as principais são no iPhoto, GarageBand e iMovie. Aliás, talvez estes sejam os 3 mais utilizados mesmo.

Abaixo todos os vídeos que mostram as novidades nestes 3 programas.

Os destaques para o novo iLife porém são o modo em tela cheia para os diversos produtos. Isto quer dizer que existe um modo diferenciado onde a tela inteira é ocupada pelo programa e não tem distrações, nem mesmo a menubar para ocupar espaço na tela. Este modo certamente foi inspirado nos apps de iPhone e iPad.

iPhoto

O iPhoto, que é o programa que eu mais utilizo tem algumas novidades e as que mais me chamaram a atenção foram:

  • Maior integração com o Facebook
    Agora é possível acompanhar de dentro do iPhoto os comentários feitos em uma foto que você compartilhou.
  • Template para envio de fotos por email
    Assim como existem templates de slideshow para você mostrar fotos no seu computador, agora quando você quer enviar fotos por email, pode fazê-lo utilizando um template e se quiser, pode anexar as fotos originais também. Outra melhoria que foi feita no envio de emails é que não é mais necessário sair do iPhoto. Tudo é feito através do próprio iPhoto.
  • Novos templates para slideshow
    Os novos templates são fenomenais. São vários para escolher e exploram todos os recursos e informações dos metadados que você coloca nas suas fotos.
  • Criação de livretos
    Criar livros agora é muito mais fácil e inteligente. Por exemplo, a capa do livro que você for criar é preenchida automaticamente com a foto que você escolheu para ser a keyphoto do seu evento. Fotos também são agrupadas por data/hora em que foram tiradas ou até mesmo local. Por fim, fotos que tem mais estrelas ganham destaque e são mostradas maiores do que as demais.
  • Letterpress Cards
    Cartões de fim de ano ou de aniversário agora tem uma opção bem legal para serem criados utilizando fotos da sua biblioteca. Ainda não está claro porém se o serviço é exclusivo para residentes dos EUA.

iMovie

O iMovie também recebeu diversas novidades entre as principais estão a criação de trailers de vídeos. Criar é quase como brincar de LEGO. O iMovie tem alguns templates e você só vai preenchendo com o tipo de vídeo que ele te pede. Para isto o iMovie agora conta com filtros inteligentes utilizando recurso simillar ao faces do iPhoto. Ele é capaz de identificar pessoas em vídeos e com isto você pode ver os trechos de filmes que tem pessoas. Este recurso se chama People Finder.

Além disto a edição de audio nos filmes do iMovie finalmente ganharam os recursos que deveriam ter desde sempre. Aos poucos o iMovie está ganhando recursos que imagino que já existem disponíveis no FinalCut. Além da edição de audio foram ainda incorporados efeitos de audio para você incluir no seu filme e ser um sonoplasta de qualidade (ou não).

One Step Effects permite que você crie por exemplo um replay em slowmotion de alguma tomada que você tenha feito e incluir é realmente fácil e quase mágico. Não precisa fazer muitos passos e basta selecionar o trecho e aplicar o efeito desejado.

GarageBand

Nunca usei e acho que nunca vou usar, mas pra quem está querendo montar uma banda ou está aprendendo a tocar piano ou guitarra este software é o melhor que você pode ter em seu Mac. Com ele é possível fazer uma fita demo da sua banda e corrigir eventuais falhas de ritmo ou tempo nas gravações individuais. Este recurso se chama Groove Matching. Ele faz os instrumentos estarem no mesmo tempo e ritmo tirando eventuais falhas de algum músico ainda em desenvolvimento. O Groove Matching, aliás, só funciona graças ao Flextime que permite editar uma trilha de audio quase como se fosse uma imagem dentro do Photoshop.

Além disto ele tem um recurso que permite a um aprendiz de piano ou guitarra a melhorar sua performance. O GarageBand vai escutando o que você está tocando e dá uma nota e ainda indica onde você errou e gera um histórico para você acompanhar sua evolução.

Grande decepção porém foi saber que o pacote ainda é binário 32 bits e não 64. Em tese isto não quer dizer muita coisa, mas seria bom que a Apple fosse exemplo de desenvolvimento e criasse programas em 64bits.




Artigo Anterior

Leia Também


Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: