iPad, iPad, iPad…




No sábado passado as lojas da Apple começaram a vender o iPad, o segundo produto revolucionário da Apple dos últimos 10 anos e também o primeiro produto realmente revolucionário da década. É o começo de uma nova era e também o motivo de muito briga em família.

Como o produto foi prometido para o final de semana de páscoa, muitos deixaram de viajar para visitar suas famílias e ficaram em casa na espera de receber seu iPad pelo correio ou ficar na fila para comprar o seu exemplar com WiFi e sem 3G diretamente na loja da Apple. Pelo menos os americanos ficaram nesta neura. Apenas alguns poucos malucos brazucas e de outras nacionalidades resolveram viajar para os EUA para comprar logo a novidade. Um deles foi o @gordogeek que até na TV Globo apareceu.

Durante o final de semana diversas avaliações surgiram. Vou tentar fazer um apanhado das principais noticias. Sinta-se livre para agregar o que você achar interessante.

O primeiro destaque é para o iCade que foi uma brincadeira de 1º de Abril da ThinkGeek, mas cá entre nós, me parece uma ótima idéia e com mais de 2000 caboclos loucos pela traquitana que transforma o iPad na melhor experiência de MAME, não é de se estranhar que possivelmente esta idéia criada em Photoshop veja a luz do sol até o final do ano.

Voltando para a realidade, o iPad naturalmente foi desmontado e dissecado para que todos os nerds possam cultuar o aparelho no momento onanista-tech-freak. As fotos dele desnudo pela FCC (a ANATEL) dos EUA, podem ser vistas através de diversos sites. Nesta foto pode se ver que a bateria ocupa boa parte do aparelho e parece ser formada por duas células e mais algumas soluções engenhosas para aproveitar espaço podem ser conferidas no melhor site para onanismo-tech-freak onde diversos equipamentos são desmonstados, o iFixIt. Lá, além das fotos do modelo WIFI também podem ser vistas as fotos do modelo 3G que só deve chegar em breve… desmontagem tradicional do iFixit pode ser vista aqui.

Aliás, sobre a bateria ainda: O iPhone tem uma bateria de 4,51 watt-hora, contra 40 watt-hora de um macbook e o iPad tem 24,8 watt-hora! Segundo as avaliações o consumo continuo de bateria pode oferecer até 12 horas de utilização. Louvável.

A midia especializada em tecnologia começou sua famosa enxurrada de avaliações do produto e parece que só rola elogio. Na Reuters você pode encontrar um resumo (Caraca! Muito #meta fazer um resumo que cita um resumo!) das principais avaliações que destacam que o iPad é ideal para navegar na internet e curtir videos e foto. Ideal para pessoas que não utilizam muito notebook intensamente.

Na comparação com o Kindle as opiniões são divergentes. Alguns preferem o iPad para ler livros, mas em ambientes bem iluminados e no sol direto o gadget da Apple é a pior opção. Outros vão preferir o Kindle, por ser mais leve e menor. O bom, porém é que existe uma versão do software do Kindle da Amazon para o iPad. Então se você tem os dois, não há o que fazer. É usar os dois nas melhores situações, mas o iPad é capaz de muito mais do que um leitor de livros eletrônicos com uma tela trés-loucada como o Kindle.

O que poderia ser uma louca espera pelo iPhone, não se repetiu pelo iPad. Apesar da procura grande, não houve o mesmo frenesi que o iPhone provocou nas populações ao redor do planeta. O motivo é fácil de entender. O iPhone era um novo telefone, era a criação de um produto que já existia, mas como a Apple acha que deveria ser. Já o iPad é um produto novo e a maioria das pessoas ainda não sabe muito bem como utilizar ou pra que usá-lo. O iPad é uma novidade na linha de tecnologia que há muito não se via. Realmente uma novidade e com o tempo vamos ver como o mercado se comporta. Eu realmente aposto que o iPad será um sucesso. Basta as pessoas começarem a pensar diferente.

Como o iPad liberado oficialmente no dia 3, este também foi o dia em que o iPhone OS 3.2 e seu respectivo SDK. O iPhone 3.2 é exclusivo para o iPad ao contrário de qualquer conclusão que um pode tirar do seu nome. Na página que descreve o novo sistema operacional do iPad mostra que a nova versão é capaz de criar PDF, reconhecer gestos diversos e ainda um grande pedido que é o acesso a arquivos.

Antenado no que pode ou não virar sucesso me surpreendi com o fato do Jornal O Globo ter uma versão exclusiva para o iPad da Apple. Ao acessar através do dito o endereço oglobo.globo.com/ipad você verá a versão para o tablet, mas se você acessar de outro dispositivo qualquer verá apenas uma explicação de como funciona a versão exclusiva. Inicialmente o serviço será gratuito, mas como a maioria dos serviços de noticias do mundo, as versões mais apimentadas e turbinadas serão pagas e nada de diferente se espera do O Globo. De acordo com a página o O Globo para iPad permitirá ler até as últimas 7 edições do jornal. Veja mais informações e uma galeria de fotos aqui.

Além do O Globo, que não desenvolveu um App especifico para o tablet, mas sim um site modelado para o navegador Safari do iPad, outros desenvolvedores tem sua presença garantida para te divertir e surpreender. Um app bem legal é o do Weather Channel. Não faz muita coisa, mas é cheio de informações e é denso de informação, o que o faz oferecer uma experiência muito melhor do que a versão do app para iPhone. Tem tanto app que a Apple até resolveu fazer uma página para promover alguns dos app que foram desenvolvidos pensando exatamente no iPad como plataforma final.

Um App que me chamou muito a atenção foi o da Formula 1 (bacana, mas caro! Custa 33 dólares), que aliás, também foi foco de um artigo que eu escrevi rasgando a seda para ele na versão de iPhone. Outro bem legal é o que mostra a tabela periódica e se chama The Elements.

Porém nem tudo são flores. No TUAW, foi dito que o iPad só permite carregar a bateria em portas USB de computadores da Apple. E ainda assim apenas em algumas portas. A porta do teclado e outros hubs USB não carregam o iPad. Também foi recomendado não utilizar o carregados do iPad para carregar o iPhone e vice-versa, apesar dos conectores serem iguais.

Para ler duas longas avaliações e impressões do iPad feita em inglês por sites especializados você pode conferir o Engadget e a MacWorld.




Leia Também


Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: