iPad: Vale a pena ter o tablet da Apple?




Ontem a Apple apresentou o seu tablet, ele se chama iPad. Sua disponibilidade porém não começa logo. Em dois meses ele começa a chegar às lojas sem o 3G. Se você não acompanhou o lançamento ontem ou não viu o artigo sobre sua apresentação, não se preocupe. O vídeo abaixo resume bem o que o iPad é e o que ele é capaz de fazer.

Estive lendo alguns comentários no twitter agora pela manhã e parece que boa parte das pessoas que o @JoshuaTopolsky falou não se interessaram pelo iPad. Pra quem não conhece, Joshua é o editor chefe responsável pelo Engadget. Eles fizeram um interessante video mostrando o funcionamento do Apple iPad e algumas das funcionalidades que não estão no vídeo oficial da Apple e nem foram apresentados ou mostrados durante a apresentação de ontem.

Também através do twitter foi interessante ver que alguns funcionários da Microsoft aqui no Brasil também não gostaram do iPad. Mas por que não gostar do iPad? Na enquete do 9to5Mac o resultado acaba sendo 47% dos votos a favor de adquirir um Apple iPad, mas 53% falam em diferentes respostas “não” ou “precisam de convencimento”.

Pontos negativos

Uma das coisas que me incomodou no iPad é que a tela é glossy. Isto já me incomodava no mundo dos notebook, mas não me incomoda no iPhone, talvez por conta do tamanho da tela. Talvez este não seja o maior dos problemas. No vídeo do Engadget você pode notar os reflexos da iluminação de teto refletidas na tela, porém este não é o maior do seus “problemas”.

Por que não tem uma camera? Video conferencia com um equipamento como este seria de grande valia. Imagina fazer uma video conferencia com ele? Ele já tem microfone e alto falante embutidos, sem falar que tem porta de fones de ouvido. Bem capaz de aceitar o mesmo fone do iPhone que já tem microfone. O que eu acho neste assunto é que não dá para começar com o iPad completão. Assim como o iPhone foi evoluindo, o iPad terá suas evoluções. É mais provavel que no ano que vem o iPad 2.0 traga melhorias e talvez até a camera, mas acredito mesmo que na terceira versão do hardware é que venha a camera, possivelmente o anuncio de camera para video-conferencia no iPhone seja anunciada na mesma época ou evento.

Multitasking é outra coisa que não existe, assim como no iPhone. Coerência total da Apple. Quando e se a Apple anunciar execução de aplicações ao mesmo tempo, será para iPhone e iPad, mas será que realmente precisa? Do que entendo da estratégia da Apple uma aplicação em tela cheia e push notifications é a melhor opção de produtividade. Também é a melhor opção do ponto de vista de performance. Eu sei que os computadores estão com processadores com múltiplos núcleos para fazer processamento em paralelo, mas pelo GTD a melhor estratégia é rodar uma única aplicação em tela cheia para terminar aquela tarefa e começar uma nova. O que poderia melhorar é o iPhone OS lembrar que você abriu uma aplicação através da outra e voltasse para a aplicação original. Hoje o iPhone OS não faz isto.

Pesado. Segundo a avaliação do Joshua, o iPad parece pesado na mão, mesmo só pesando cerca de 700 gramas.

Não é “HD”. A resolução de tela é de 1024×768 e com um adaptador VGA você pode conectar o iPad a um projetor ou monitor externo, para ligar numa TV através de cabo componente ou composto as resoluções são de 576 e 480. Sendo o modo progressivo para o cabo componente apenas. Uma das coisas que o povo da Microsoft vem dizendo é que o Zune tem saída HDMI e permite ver conteúdo em alta definição, mas o iPad não tem nada disto. Sua tela é fenomenal, mas a resolução não é muito alta, por que não oferecer saída de vídeo em resoluções maiores? A causa pode ser o processador A4 que não tem capacidade para lidar com tanta informação assim.

Cadê o Adobe Flash? Eu não tinha esperança alguma que o Flash fosse anunciado. A Adobe deixou bem claro sua insatisfação em relação à politica da Apple que impede o suporte da Adobe ao Flash no iPhone OS. Por mais que isto incomode para acessar alguns sites, cá entre nós é até bom não ter Flash. Tem muito flash mal escrito por ai e seria um consumo de banda e processamento desnecessário, ainda mais se for para mostrar banners de publicidade. (eu cuspi no prato agora)

Outro fato que ninguém ficou atento é que o iPad, apesar de ser iPhone OS, ainda não tem suporte para o Português.

Pontos Positivos

O iPad é um pouco mais grosso que o iPhone.

Tela fenomenal 1024×768 132 ppi de densidade com 9,7″ de tamanho é capaz de mostrar vídeos em 720p que podem ser comprados pela loja iTunes ou vistos através do YouTube por exemplo. Li alguns comentários que o seu formato de tela em 4:3 era antiquado, mas cá entre nós, o formato do iPad tem muito mais a ver com o formato de um livro do que com a tela de um cinema. O melhor aproveitamento de tela possível e ser carregavel é o formato do iPad, mesmo que alguns comentem que ele é um pouco maior do que deveria.

VoIP no 3G. Pelas primeiras analises do SDK do iPad, parece que a barreira do VoIP sobre 3G finalmente caiu. A Google se estranhou com a Apple por conta do Google Voice. Assim como a Adobe a Google demonstrou publicamente seu descontentamento em relação ao veto que a empresa de Steve Jobs tem feito em relação Google Voice em formato de app que a Google deu a volta na Apple e fez uma aplicação web para resolver a questão. Não sei bem as motivações, mas ao que indica o 9to5mac e a MacWorld Brasil, já tem app que pode fazer VoIP usando o 3G. É o iCall que pode ser baixado gratuitamente através da app store.

SOC. É um acrônimo para System On a Chip, ou na tradução livre, sistema num único chip. O A4 da Apple tem no seu interior um processador multi-core ARM Cortex-A9 (identico ao Snapdragon da Qualcomm ou nVidia Tegra) com processador de vídeo GPU ARM Mali Série 50 além de controles adicionais para gerenciamento de memória e outras atividades mais mundanas que uma placa mãe costuma ter.

Curiosidades

Roda iPhone OS 3.2, hoje o iPhone usa o iPhone OS 3.1.2.

Processador com desenho próprio. Após comprar a empresa P.A. Semi em 2008 o processador do iPad parece ter sido finalizado em setembro do mesmo ano. Especulava-se que a Apple adotaria um processador ATOM da Intel ou processador baseado na arquitetura ARM de outro fabricante, mas a realidade se mostrou diferente, mas isto não quer dizer que o processador da Apple não tenha um núcleo ARM. O A4 é um processador de baixo consumo de energia, que parece ser o problema da maioria dos dispositivos ultra portáteis existentes no mercado hoje, mas como a Apple agora domina hardware e software do iPad ela consegue tirar o maior proveito dos dois. A experiencia de usar um iPad parece ser fenomenal e longe de ter a demora que dispositivos com Android tem hoje.

Fato curioso é que a PA Semi tem sua especialidade em projetar processadors PowerPC de baixo consumo. Em 2006, quando a Apple abandonou a linha de processadores PowerPC e adotou a Intel como fornecedora, foi mais ou menos a mesma época que a Apple começou o namoro com a PA Semi.

Concorrente é a TV? O artigo do The Guardian fala de um pouco provável concorrente ao iPad. Pela imensa possibilidade de recursos e possibilidades de desenvolvimento especula que o iPad se torne um dispositivo muito mais interessante para consumo de conteúdo originalmente voltado para a TV. O consumo individual de vídeo pode até ser mais interessante no iPad, por conta da quantidade de informações complementares que ele permite, mas para substituir o televisor da sala que é um equipamento coletivo, acho pouco provável.

Kindle é um concorrente. O iPad é certamente um hardware muito parecido com o da Amazon, mas eles não são concorrentes. É certo que a ibookstore, seção da loja iTunes que venderá livros, é um serviço concorrente para o Kindle, mas o iPad é muito mais do que o Kindle almeja ser. O Kindle existe em torno de uma tecnologia de tela que se desenvolve e evolui de maneira muito lenta comparado com o que o iPad pode oferecer em sua linha de tempo. A Apple está usando o formato EPub para eBooks ao contrário da Amazon que desenhou um formato proprietário de livros eletrônicos. Veja mais aqui.

Porém a ameaça não é tão grande para a Amazon. O artigo da Forbes resume bem em 4 tópicos que garantem a vida do Kindle como um nicho para consumo de publicações eletrônicas.

  • Preço
  • Editoras
  • Tempo de bateria
  • Tela (LCD vs e-ink)

Conclusão

Como toda nova plataforma computacional, há de se esperar e ver casos de uso real onde o iPad se mostre realmente um fantástico aparelho. Os netbooks, quando surgiram, foram alvos de diversas críticas. Problemas de desempenho, formato, tempo de bateria, mas o pior foi não ter programa desenhados especialmente para eles. O iPad não terá este problema, pois ele tem uma plataforma de desenvolvimento voltada especificamente para ele e mais, os aplicativos desenhados para o iPhone, que tem poder de processamento inferior ao iPad.

Vale a pena comprar um iPad? Se você quer se familiarizar com o novo equipamento e também se preparar para o futuro, vá em frente, mas lembre-se de que a primeira geração de hardware da Apple sempre costuma ter problemas e deve ser evitada. Se você hoje já é feliz com o iPhone e os Apps que estão neles são mais do que suficientes para você faça o que você costuma realizar num “computador”, pode ser que o iPad seja ótimo, mas se você quer substituir seu computador ultra portátil por um iPad, er… acho que não é bem o que você precisa. O iPad não é de maneira alguma um netbook ou um notebook ultra portátil da Apple. Nem mesmo o MacBook Air consegue ser isto.

Se você quiser rever a apresentação feita ontem, você pode fazer o download através do iTunes como de costume ou consumir online através de streaming.

Fontes: Engadget, Electronics Weekly, MacWorld Brasil, iFixit, Apple, Bright Side of News.




Artigo Anterior

Leia Também


Deixe um comentário

2 Comentários

  1. rodrigo

     /  28/01/2010

    Não sei sou eu o errado… mas não vi a menor graça no “áipede”.

    e caro e pouco útil *, e vai acabar funcionando bem apenas como porta retrato digital de última geração.

    * na verdade é útil sim para determinadas pessoas ou nichos, mas não é algo de uso geral ou cotidiano.

    Responder
    • Eu me vejo usando o iPad, mas apenas no trabalho onde posso ir para uma reunião com ele debaixo do braço e mostrar o que for preciso para os participantes ou até mesmo como ferramenta para ficar conectado e fazer anotações, mas fora do ambiente de trabalho eu ainda não vi muito motivo para adotar. É legal, mas não é fundamental.

      Responder

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: