MacWorld 2008 pelos meus olhos




Ontem no PodCast do Gui, não consegui tocar em alguns pontos que gostaria, seja por falta de oportunidade, problemas técnicos ou até mesmo por que esqueci de comentar. Esclerose é foda! 😉

Disponibilidade dos produtos

Pode ser paranóia minha, ou falta de lançamentos para a data do keynote, mas dos produtos lançados, metade tem disponibilidade para duas semanas. O novo MBA (MacBookAir) é assim, o mesmo vale para o TimeCapsule.

Pode ser que comercialmente esta estratégia seja melhor que a disponibilidade de imediata. Trabalhando com pré-venda, eles conseguem dimensionar estoque e controlar melhor a logística de para onde cada produto vai, diminuindo possivelmente custos operacionais. Sei lá.

20 dolares para upgrade do Touch

Eu não consegui ver uma justificativa real que explique o porque do upgrade pago para o Touch e mais do que isto, por que o número mágico de 20 doletinhas. No passado a Apple cobrou para fazer o upgrade de alguns iMacs que já vinham com o hardware de 802.11n, mas não vinha com ele ativado. Depois de algum tempo, através da Apple Store você pagava US$ 1.99 e tudo estava ativado e funcionando.

Esta explicação eu imagino que seja fácil, mas não tenho certeza se é realmente o caso. Para mim este custo é relativo aos royalties de algum software para que o hardware seja utilizado.

Agora 20 dolares para ter 4 aplicações no touch que o iPhone tem di grátis? Deu pra entender não. Como foi dito no podcast, é bem capaz que a Apple comece a vender softwares para o iPhone e Touch por algo em torno de US$ 4,99. Pelo menos, Jobs já anunciou que os novos Touchs já saem da loja com as aplicações sem custo adicional.

MacBook Air

Este foi um dos momentos “oh!”. Não sei se o melhor momento, mas certamente um dos bons momentos de ser fan-boy da Apple. Ver o Steve apresentar um novo produto é sempre o maior barato.

A linha de produtos da Apple é bem enxuta. Agora chega um produto que pra mim, não está entre o MacBook (MB) e o MacBook Pro (MBP). Um notebook, ultra-portátil, ou ultra-fino, seja lá qual for o nome de sua catergoria, só agrega a Apple.

Como o Rafael do Mac Magazine comentou no podcast, este novo notebook é uma segunda máquina, pois peca na falta de alguns recursos. Pelo que pude notar, faltam portas firewire, caixas de som (note que é apenas o plural que falta, pois na página do Air, diz que ele tem som mono), leitor/gravador DVD.

Eu adorei o novo trackpad que ficou maior. Agora ele também pode entender os gestos que se faz no iPod Touch e no iPhone. Já posso até sonhar com um futuro upgrade de software para os atuais MB e MBP para que seus trackpads que já são multi-touch, reconheçam também os gestos novos que usam 3 dedos e além do pinch para zoom e o rotate com dois dedos.

A falta da firewire em tese não me deixa triste. Nunca consegui achar um dispositivo Firewire. Por sorte eu consegui uma gaveta externa para HD que tem firewire, mas fora isto, nenhuma máquina de filmar (camcorder) atual tem firewire, pelo menos todas as que pesquisei, para consumidor final, tem apenas USB 2.0.

O fato de ter apenas uma porta USB também não me deixa triste. Meu mouse é Bluetooth, o acesso a arquivos armazenados externamente é feita através da rede wireless e por fim, a única coisa que eu espetaria nesta porta USB é meu iPod de 30GB. Tá bom, não tá?

Também não tem porta ethernet para espetar o notebook na rede cabeada. As únicas vezes que tive que acessar uma rede com fio no meu notebook foi em… er… entendeu?

O que mais me incomodou foi o fato de não vir com speakers internos (tem apenas som mono!). Você vai ter que carregar fones de ouvido para poder escutar somzinho saindo do seu precioso MBA. Outra coisa chata foi ver o preço do disco SSD de apenas 64GB. Agrega salgados mil doletas a mais no preço, que começa em 1800 dolares. Por fim, a última coisa que me incomoda é a borda da tela. É muito grande. Tão grande, se não maior que a do MB. No MBP esta borda é mais fininha.

Novo Apple TV

O novo Apple TV tem duas coisas novas. Novo preço. Agora sai por 229 contra 299 anteriores. E com o novo firmware, dá para alugar filmes pela internet. Tirando isto, o Apple TV continua igual. Meu desejo, que pode ser mais chamado de devaneio do que qualquer outra coisa, de que ele receba um leito de bluray ou até mesmo de um ultrapassado DVD não virou realidade.

Parece que ainda é cedo demais para isto, mas pelo slogan do keynote deste ano – “There is someting in the air” (e não fui eu que soltei o pum), imagino que seja pouco provável que a Apple faça isto. Colocar um leitor de discos óticos no Apple TV roubaria clientes da loja iTunes.

Ainda tem outras funcionalidade que vieram com o novo firmware, mas estou decepcionado demais para comentar. Aliás, nada de novas lojas iTunes pelo mundo.

Novo Firmware do iPhone

Esta foi a coisa mais chata do keynote. Antes da apresentação do Steve Jobs, muitos blogs já tinha conseguido colocar as mãos no firmware 1.1.3 (que terá upgrade gratuito) e acabaram roubando o barato (tradução péssima de “steal the thunder”) do anúncio.

Nada foi dito sobre novos contratos com operadoras pelo mundo. Jobs parece feliz por estar na Europa e EUA. Nestes 200 dias de iPhone à venda pelo mundo, que dá pouco mais de 6 meses, foram vendidos 4 milhões de iPhones.

Time Capsule

Por fim, falo do Time Capsule. Este novo produto, que não passada de um AirPort Extreme com disco interno, cai como uma luva com a solução Time Machine para fazer backup dos dados do HD. O valor não achei ruim. US$ 299 para 500GB e US$ 499 para 1 TB.

Minha maior dúvida era se o disco interno poderia apenas ser acessado para fazer backup de Macs, mas pelo que vi não. Usuários de outros sistemas operacionais podem acessar o disco para outras coisas que não o backup. Boa! Então no Mac, poderemos colocar mais coisas lá além do backup do Time Machine, que até hoje eu não usei.

Este já faz parte da minha lista de desejos imediatos! 😉




Leia Também


Deixe um comentário

3 Comentários

  1. A ideia de não ter leitor cd/dvd é mesmo o facto de através de wireless poder ler cds noutros leitores externos que estejam na área.

    Por outro lado existe a opção de um leitor externo da propria apple para quem quiser.

    O Steve jobs revolucionou novamente!

    E ao nível dos conteúdos vídeo vamos assistir a uma revolução igual à que aconteceu com a música.

    Também já escrevi sobre o assunto:
    http://inovacaomarketing.com/2008/01/16/apple-did-it-again/

    Abraço

    Responder
  2. Ouvi o podcast essa manhã, muito legal tua participação!

    E também fico empolgada com as apresentações do Jobs, rs, meu, o cara trouxe num envelope hahah…

    Pena que pra mim só valeria trocar meu Book pelo modelo superior, o que me deixa muito muito triste (triste = -$).

    Responder
  3. que legal! Eu não quero o MBA não… to querendo o envelope! Ele deve ser mágico. Imagina!? Enfia seu MB lá pra dentro e ele vira um Air! 😀

    Eu vou assumir a máxima que a primeira geração de produtos Apple deve ser evitada. Sempre.

    Responder

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: