Minha avaliação do iPad WiFi




Este feriado foi bastante interessante por que fiquei brincando com um iPad WIFI. Fiquei feliz por poder brincar com ele mais do que apenas alguns minutos. Eu tive contanto com o iPad do meu estagiário, mas claro que foram apenas alguns minutos de uso. Agora que o iPad para testes chegou, finalmente pude ser um usuário do mais novo gadget da Apple e tirar minhas conclusões em casos de uso real. Assim que o recebi tratei logo de ver tambem os acessorios que tambem encomendei para avaliar o equipampento para usos reais dentro da empresa onde trabalho.

Além do iPad, pedi a capa, a dock com teclado, adaptador para camera digital, cabo VGA e o cabo para video composto. Creio que seja todos os acessórios possíveis de serem utilizados. Por mais que um teclado sem fio seja interessante de usar, achei que não valeria a pena testá-lo. A dock com teclado é muito mais prática.

Assim que o recebi, coloquei o para sincronizar como iTunes, e comecei a lotar de apps para iPad. O que faz um grande dispositivo como o iPhone e o iPad é o seu design que é complementado por sua funcionalidade nativa e extendida atraves de seus apps. No caso do iPhone, hoje existem tantos apps que se pode dizer que a grande maioria é um lixo, mas dentro deste universo de cerca de 150 mil apps, varios se salvam.

No iPad minha maior frustração sao os apps. Por mais que existam quase dez mil apps, fico com a impressão de que apenas algumas dezenas prestam. Instalei uma infinidade de apps grátis para o iPad e em vários deles me fizeram falar algum palavrão. O Tweetdeck por exemplo nem me permitiu realizar a configuração da conta do twitter. Ele fechou sem dó nem piedade na minha cara. Depois de reclamar no twitter utilizando meus dotes ninja com o mesmo tweetdeck, descobri que o melhor cliente para o twitter é Twitterriffic.

Abaixo estão as duas telas de apps que instalei no iPad. Note que nem todos os apps são desenhados para o iPad, mas a grande maioria são.

Descrevo algumas das minhas experiências com os apps que testei abaixo.

Citrix Receiver

É um app de acesso remoto à aplicações que no iPad é uma experiência muito melhor do que no iPhone. Para quem não conhece, Citrix é uma ferramenta para acesso remoto de grandes corporações. Através do metaframe é possível utilizar por exemplo o Microsoft Office que está instalado num servidor em qualquer dispositivo que tenha o cliente Citrix instalado. No caso do iPad e iPhone isto é possível, pois existem clientes. O mesmo vale para computadores rodando OS X da Apple ou Microsoft Windows.

Em específico para o Citrix Receiver, achei fenomenal que o app permita utilizar a saída de vídeo do iPhone e o do iPhone para visualizar melhor o conteúdo do app. No caso do app exclusivo para iPad, achei supimpa o fato de poder usar o iPhone como se fosse um touchpad para controlar o mouse no iPad durante uma sessão de metaframe. A idéia de saída de vídeo é fenomenal, mas por algum motivo tentei em alguns dispositivos onde a tela sempre ficou cortada. Testei num picoprojeto de LED, numa TV analógica da Sony e em ambas a tela ficou cortada. Quando liguei num monitor VGA, tudo funcionou as mil maravilhas. É uma pena que a resolução seja limitada.

News Pro da Reuters

Este app é da Reuters que recentemente foi adquirida pela Thompson. Certamente é uma das melhores maneiras de consumir noticias do mundo no iPad. Ele tem cara de revista digital e permite fácil navegação entre as noticias e as diversas categorias de noticias que a agência de noticias publica diariamente. É uma pena apenas que o conteúdo da Reuters no iPad seja limitado a alguns mercados como Estados Unidos, Reino Unido, India e Canadá.

Apesar disto, o app tem um botãozinho chamado “Markets” que mostra os mercados financeiros importantes. Dependendo da orientação do iPad você vê o conteúdo organizado de maneira ligeiramente diferente. A melhor é ver assim em landscape, pois as noticias ficam do lado direito, ainda que em inglês e do lado esquerdo um gráfico que pode ser visualizado em escalas diferentes. Desde apenas as variações para o último dia, quanto a variação para os últimos 5 anos.

Marketboard da Reuters

Além do app para notícias, a Reuters tem ainda um app específico para acompanhamento do mercado financeiro. Ele funciona quase como um dashboard que se atualiza de tempos em tempo e tem scroll automático para mostrar todos os principais mercados financeiros do mundo. É possível ver a quantidade de pontos das bolsas e também a variação percentual. Além destes indicadores também as maiores altas e baixas das ações para aquele mercado.

Sendo a Reuters uma grande agência de noticias, claro que na parte inferior existem noticias relacionadas. Além dos indicadores, você pode fazer uma pasta, chamada de “Briefcase” onde você pode colocar os seus papéis prediletos e favoritos que você acompanha. Eu achei o máximo.

WordPress

Todo blogueiro de plantão pensa em produzir conteúdo em qualquer lugar, por tanto ele carrega um netbook ou um notebook para poder colocar fotos, produzir o texto e assim que possível colocá-lo no ar o quanto antes, dependendo é claro do grau de ansiedade. Quando saiu o WordPress for iPhone pensei que poderia utilizar o espertofone para esta atividade, mas eu me enganei. A tela do iPhone pode ser boa para navegar na internet e ler/responder emails, mas para produzir longos textos não dá não.

No iPad porém a coisa é ligeiramente diferente. A tela é quase um latifundio comparado ao iPhone e por conta do tamanho maior, dá para digitar com a mão ao invés de apenas utilizar dois dedos como no caso do iPhone. A interface do WordPress para iPad é bem parecida com a da versão para iPad. É uma pena que a produção do texto é em texto puro e todas as formatações precisam ser feitas utilizando códigos HTML.

Uma coisa relevante, é que como o iPad ainda não está disponível oficialmente através da Apple para o Brasil, o suporte ao dicionário e interface do iPhone OS 3.2 ainda não está liberado para a nossa língua pátria, então produzir textos pode ser um tanto mais difícil do que sem o recurso de auto-correção.

Aliás, boa parte deste texto foi produzido no WordPress para o iPad. Complementei com imagens e os acentos e correções de ortografia que se fazem necessário pela minha falta de saco para acentuar como o iPhone OS me obriga a fazer. Um teclado ABNT2 virtual ia muito bem. 😉

Adobe Ideas

Este app eu nunca tinha ouvido falar. Todos os outros já foram mostrados e analisados, mas eu tinha que falar o que eu achava a respeito deles. No caso do Adobe Ideas, eu achei creio que ninguém tenha falado de maneira extensa. Achei ele um grande achado e um app com grande potencial de crescimento.

Se você é uma pessoa ligada em organização e produtividade pode achar que este software é mais um daqueles para mind mapping, mas não. Este software é um grande bloco de anotações. Ele está na versão 1 e permite que você faça desenhos em folhas em branco ou fotos que foram colocadas no iPad previamente. Claro que uma camera para capturar imagens traria um ótimo ganho para um iPad com o Adobe Ideas instalado.

Além de oferecer páginas em branco para você rabiscar e fazer desenhos (não tem funcionalidade de colocar textos a partir de um teclado virtual), você pode ainda extrair um conjunto de cores de uma dada foto para realizar seus desenhos. Também é possível, a partir do próprio app, enviar emails com as anotações. Ele tem suporte primitivo de layers e só.

Outros apps eu achei interessante e também o contrário. O app da Newsweek comparado com a versão da revista Wired é simplesmente um lixo. Já no ramo dos IM o IM+ parece ser o melhor, apesar de sua integração com o Twitter ser bastante ruim. Ainda na lista de apps que eu quero comentar Dictionary é para palavras em inglês e simplesmente perfeito para ser usado no iPad. Seria ótimo se o Dictionary do OS X estivesse no iPad e no iPhone OS, mas agora não precisa mais, já que o Dictionary.com fez um ótimo app. Melhor se ele suportasse outras línguas. O The Weather Channel é fenomenal. Qualquer clima-freak precisa usar este app pelo menos uma vez na vida e assim se sentir na obrigação de comprar um iPad só por conta dele. 😉 Se quiser ver mais apps veja o levantamento que o Gizmodo fez.

E quanto aos acessórios? Será que eles são bacanas? Confira

Dock com teclado

Uma das coisas que me fez comprar este acessório foi a questão do teclado virtual ser ruim para algumas pessoas. Depois de usar o iPad e seu tecladinho, vi logo que o virtual não é tão ruim assim, mas se você foi utilizá-lo por muitas horas a posição em que você vai ficar será bastante ruim, então nada melhor do que reproduzir o ambiente de um computador com este tablet.

Isto quer dizer que o iPad fica de pé num teclado físico que idêntico ao dos notebooks e desktops da Apple. Algumas teclas porém tem outras funcionalidades, mas em termos gerais achei o teclado muito bom. Uma coisa porém que me deixou um pouco desapontado é que o iPad precisa ficar de pé para que o teclado seja utilizado. Eu achava melhor que ele ficasse deitado em landscape para permitir melhor utilização da tela.

A dock conta ainda com uma entrada universal da Apple e uma saídas de audio que eu não cheguei a testar, mas que pode ser útil para colocar um headphone ou fone de ouvido. Como ainda não há suporte para o português, não consigo imaginar como será acentuar neste teclado. Seria ótimo se tivesse um mapeamento de teclado de US Internacional ou até mesmo um dock com teclado ABNT-2.

O teclado tem algumas funções interessantes como controle de volume e brilho que funcionam exatamente igual ao teclado para os computadores da Apple. Além destas teclas, o famoso, play, next e previous para controlar as músicas em execução no iTunes também existem e funcionam muito bem no iPad. Ao invés da tecla ESC o tecladinho da dock tem o botão de Home, que leva a tela inicial do iPad. Estou curioso para saber como vai ser o comportamento do teclado quando o multitask chegar ao iPad no final do ano. Será que o CMD TAB vai rolar? Aliás, nem lembro se tem a tecla CMD.

No lugar daquelas teclas de Exposé e Dashboard estão as teclas para ativar o modo de porta retrato digital e para o teclado virtual ser mostrado. Pra que? Sei lá. Pleonasmo ou piadinha interna. 😉

Cabo video composto e cabo VGA

Nada demais aqui. O resultado é o mesmo que se consegue ao ligar o iPhone ao televisor. Não espere ver tudo que você vê na tela do iPad na TV, por que não é assim que funciona. Apenas vídeos e alguns apps que implementaram o suporte a API de video out mostram o vídeo na tela externa.

Tudo que você vê através do cabo de video composto, você também vê através do cabo VGA. Existe ainda um cabo de vídeo componente que permite consumir vídeo em até 576p. O conteúdo exportável para a tela externa é possivelmente o mesmo.

Capa da Apple

Desde que a Apple anunciou o iPad e seus acessórios vi a capa como sendo um acessório obrigatório. Não por proteger o gadget, mas por torná-lo mais prático de carregar e transportar. Assim que coloquei a capa no iPad vi que eu estava certo. A capa tem a capacidade de deixar o gadget inclinado ajudando na leitura da tela e também na digitação quando ele está sobre o colo ou em cima da mesa.

Se você vai usá-lo como porta retrato também ele é espetacular, pois predendo a capa no verso dela mesma, cria-se uma plataforma na qual o iPad se apóia e ele de pé fica. Adorei os dois modos. O revés porém é quando você tem a dock de teclado. Para usá-la, é necessário tirar a capa. Infelizmente. O som que sai pela bundinha do iPad também é ligeiramente mais abafado, mas ninguém morre com isto.

Navegação na internet

Se o iPhone sofre com sua tela pequena e é encarado como um navegador móvel que consome páginas de dispositivos móveis, o iPad não sofre do mesmo mal, ainda que seu navegador seja em seu cern o mesmo Safari. Se você navega pela internet no seu iPhone e já acha bom, no iPad é ainda melhor. O que eu mais gostei é que os vídeos podem ser tocados diretamente na página onde eles estão embarcados (tradução porca para embeded) e partir para a visualização tela cheia, basta fazer um pinch. Voltar a mesma coisa. Tudo sem sair do Safari e de maneira muito prática.

Adobe Flash faz falta? As vezes, mas eu não deixei de fazer absolutamente nada por conta da falta do Flash. Claro que vai existir algum site nefasto que fez sua interface ou funcionalidade 100% dependente de Flash, mas este não é o método correto de ser fazer interfaces. Enquanto HTML5 engatinha, tenha certeza de que você vai encontrar algum site onde você vai reclamar da decisão do Steve Jobs de não dedicar esforço para suportar Flash no Safari Mobile e sim dar suporte ao HTML5. Cá entre nós, acho bastante acertado que o Safari não tenha a capacidade de plugins no iPad ou no iPhone. Navegador deveria ser puro e imaculado, sempre.

Serviço de localização

A especificação dos dois iPad disponíveis se difere por dois equipamentos. Um é apenas WIFI, já o outro tem 3G e GPS. Minha escolha por um dos dois é claro voltada para o 3G por conta do GPS. Não pretendo colocar um SimCARD para navegar com ele quando não estiver numa rede WIFI, mas gosto da idéia de utilizar o GPS.

Acontece que o modelo WIFI também consegue se achar com relativa precisão, porém uma rede Wifi precisa estar disponível. Aí que entra a parte onde eu acho que existem informações sendo coletadas sem a ciência dos consumidores. Segundo a Apple o iPad WIFI e até mesmo o iPhone conseguem se achar no planeta através do WIFI. Veja aqui. Segundo outro artigo da Apple é possível corrigir a localização informando a um serviço mantido por terceiros o MAC address do seu roteador wireless e sua localização correta. A empresa do artigo é a SkyHook Wireless. O que me deixou com a pulga atrás da orelha é que meu router é escondido e eu não informei sua posição em serviço algum e ainda assim o iPad WIFI se achou com facilidade impressionante.

Impressões gerais

O teclado virtual pode parecer uma grande bosta, mas o seu tamanho é bom e o retorno tátil que um teclado físico tem praticamente não faz falta. Utilizei o teclado virtual em landscape mode para responder emails e a minha velocidade de digitação me impressionou.

É uma pena que o iPad ainda nao tenha suporte para o português, entao isto quer dizer que o dicionário em português para ajudar no auto correct simplesmente não existe e a experiência de digitar longos textos pode ser menos rápido do que no iPhone, que tem suporte para nossa língua.

O teclado virtual do iPad é ligeiramente diferente do iPhone. Isto não chega a ser nem bom ou ruim, mas uma coisa me incomodou. No iPhone, em determinadas telas, uma das teclas costuma ficar de outra cor para indicar que a funcionalidade ali é diferente. Por exemplo na tela de configuração de rede WIFI existe um botão “Conectar” em azul, na mesma tela no iPad a tecla não muda de cor chamando menos a atenção do usuário.

Em linhas gerais achei ótimo utilizar o iPad para o trabalho. Ferramenta perfeita para carregar para reuniões ou controlar as atividades e responder os emails que chegam. Os apps que complementam o iPad é que tornam o iPad ainda melhor. Ainda não testei, mas Things, Numbers, Keynote, Pages e Documents to Go são apps que certamente deveriam estar em qualquer iPad. Eles são apps de produtividade e muito importantes no ambiente de trabalho.

Se eu recomendo a compra do iPad? Sim, recomendo, porém indico que a compra só deve ser feita após dois eventos bastante importantes. O primeiro é que o suporte para o português do Brasil seja implementado no iPad. Sem ele o iPad se torna um pouco mais dificil de ser utilizado. Com o suporte para português do Brasil implantado, assumo que a Apple terá o suporte oficial aqui na nossa terrinha o que torna a manutenção do mesmo mais fácil.

O segundo evento importante é que o iPhone OS 4 seja liberado para o iPad. A Apple já sinalizou que este mes libera a nova versão de seu sistema operacional para dispositivos móveis (iPhone e iPod Touch), mas para o iPad apenas no final do ano. Recomendo isto, por que o iPad parece rodar uma versão inacabada do iPhone OS otimizada para ele. Importantes apps que são nativos no iPhone e iPod Touch não fazem parte do iPhone OS 3.2 que roda no iPad. Onde está o app para relógio? E a calculadora? Fazem falta. Parece que a Apple se adiantou em lançar logo o hardware mas o desenvolvimento do software não acompanhou o mesmo ritmo e até o final do ano todos estarão na mesma versão.

Faltou falar ainda do tempo de bateria. Eu não cheguei a medir o quanto a bateria realmente se aproxima ao prometido pela Apple, mas diversos sites já criaram estes comparativos e testes. Eu fiquei feliz de poder usar o iPad o dia inteiro sem me preocupar em poupar bateria. Deixei o push ativado, acessei a internet, assisti diversos vídeos e a bateria agüentou firme forte.




Próximo Artigo

Leia Também


Deixe um comentário

5 Comentários

  1. Entaum

     /  07/06/2010

    Da uma olhada no Atomic Browser, tem uma versão free. Muito melhor que o Safari na minha opinião, pois não fica tentando recarregar a página ou abas a cada vez que você as reabre. Além disso a transição entre abas é bem mais rápida e a abertura das mesmas pode ser feita em background, o que é ótimo pra ir separando artigos pra leitura posterior.

    Responder
    • Eu instalei o Atomic Browser, mas confesso que eu não me liguei muito nele ainda não. Vou porém testá-lo ainda até o final da semana. 😉

      Responder
  2. Recomenda para substituir caderno? Caderno mesmo, não notebook 🙂

    Sempre quis comprar um tablet para deixar de levar caderno para reunião mas sempre esbarrei na falta de software competente para ir registrando o que tiver que ser registrado (Mind Mapping não conta). Estilão de caderno mesmo, que depois sincronize em algum repositório na web mesmo.

    Se tiver alguma dica me avise.

    Grato

    Responder
  3. Ed

     /  02/07/2010

    Que venha o iPad, mas o app pra twiter chama-se echofon, é o melhor de todos. Recebe atualizações mensais, rápido e excelênte.
    Parabéns.

    Responder
  4. Michel

     /  05/08/2010

    Vc sabe se existe acessório para ligar o ipad em um cabo de rede ? (com ou sem dock). Obrigado.

    Responder

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: