O Apple Watch vem aí. O que você precisa saber?




NewImage

O Apple Watch vem em abril. Um evento de lançamento será realizado pela Apple alguns dias antes da disponibilidade do relógio ainda que dependente do iPhone para funcionar. Você não sabe porquê, mas você vai querer comprar um Apple Watch, mas antes de comprar, conheça melhor o smartwatch da Apple e compre o melhor modelo, ou não compre.

Primeira vez foi boa pra você?

Antes de mais nada, preciso reforçar a máxima que rege o consumo de dispositivos por um Apple-fan racional: Jamais compre a primeira geração de um hardware da Apple. Ele não é perfeito e a segunda ou terceira geração serão bem diferentes e com diversas evoluções que te deixarão realmente chateados de ter comprado a primeira versão.

Basta ver a diferença entre o primeiro iPad e o segundo. O primeiro iPhone e o segundo.

Isto quer dizer que eu não vou comprar um Apple Watch? Não. Quer dizer que se eu comprar será apenas se uma oportunidade se apresentar ou se eu identificar que o produto realmente é interessante.

Três modelos, muitas combinações 

O Apple Watch é um único hardware em dois tamanhos diferentes e dividido em três modelos. Apple Watch Sport, Apple Watch e Apple Watch Edition. Na imagem abaixo você pode ver os três em ordem da esquerda para a direita.

NewImage

O que existe de diferente entre os 3 modelos? Material utilizado no corpo do relógio e no “vidro”. O Sport tem acabamento em alumínio e “vidro” de vidro reforçado Ion-X, seja lá o que isto for, mas me parece mais frágil que o vidro de Safira, mais resistente. Já o Apple Watch tem “vidro” de safira e corpo de aço inoxidável com duas opções de acabamento: claro e escuro. Já o Apple Watch Edition tem acabamento em ouro em duas tonalidades: dourado ou rosado.

Todos os modelos tem opções de pulseiras. O Sport só tem a opção de pulseira de plástico, mas tem cinco cores das quais você pode escolher. Todas são cores gritantes. Já o Apple Watch tem opções de 3 tipos de pulseiras: couro, plástico (branco ou preto) e aço inoxidável. Ao todo são nove opções. Já o Apple Watch Edition tem 3 opções entre pulseiras de couro ou de plástico (mesmo branco ou preto).

NewImage

iPhone

Todo mundo quer ser independente. O Apple Watch não. Ele é dependente do iPhone. Para ele funcionar em sua totalidade você precisa ter um iPhone. Ou seja, se você tem um iPhone 5 (ou mais novo) com iOS 8.2, tudo certo. Se você tem uma geração anterior, esqueça. Você precisa trocar de iPhone. 

É a partir do iPhone que o Apple Watch consegue ler dados sobre posição no planeta e é através do iPhone que ele se conecta à internet. A comunicação entre os dois sempre se dará através de bluetooth, uma vez que este tipo de comunicação sem fio não consome tanta bateria, mas então pra que o Apple Watch tem WIFI?

O WIFI do relógio não será algo que você vai configurar manualmente como no iPhone. O Apple Watch vai herdar as configurações do seu iPhone, contudo, não espere que ele funcione em todas as redes WIFI. Imagina bater as informações de login e senha? Não rola nesta tela. Redes certificadas então? Grande dúvida.

Uma coisa é certa. O WIFI certamente será utilizado para fazer download de novo sistema operacional ou apps grandes. O Apple Watch tem 4 GB de memória para armazenar apps. Possivelmente o WIFI funcionará apenas quando o relógio estiver conectado ao carregador. A descobrir…

Brasil

O Apple Watch tem NFC, WIFI e Bluetooth. Isto quer dizer que para ele começar a ser vendido aqui no Brasil oficialmente, precisará passar primeiro pela homologação da ANATEL. Isto quer dizer que será praticamente impossível que o Brasil faça parte dos primeiros países a ter o Apple Watch em abril.

O preço do modelo mais barato do Apple Watch será do Apple Watch Sport e seu preço nos EUA será de 349 dólares. Acrescendo o custo Brasil ao valor da Apple o preço estimado por aqui será em torno de 1500 reais. Provavelmente mais do que isto.

Pra que serve?

NewImage

Além de ver as horas, neste momento qualquer smartwatch não serve pra mais nada além de ostentação tecnológica. Tudo que você pode fazer nesta categoria de dispositivo você consegue fazer melhor no espertofone. O “relógio esforçado”, pois de esperto ele não tem nada, é apenas uma tela menor e mais acessível (em contra partida ao movimento de tirar o smartphone do bolso) para você ver notificações e alertas. Você pode até mesmo se comunicar através do relógio, mas nada revolucionário.

Antes do advento do TouchID, até seria legal ter um smartwatch, pois você ganharia o tempo de digitar a senha para destravar o smartphone, mas agora que você só precisa colocar seu dedo no lugar correto, a coisa ficou muito prática.

NewImage

Nos EUA, onde o Apple Pay é uma realidade, ainda que restrito aos estabelecimentos com “maquininha” de pagamento compatível, o Apple Watch será a maneira mais prática de realizar pagamentos. O Brasil tem um dos maiores parques de maquinas de pagamento móvel com hardware compatível com NFC. Assim que os bancos e operadoras de cartão de crédito firmarem seus acordos com a Apple o Apple Watch será de grande adianto.

Outro uso interessante será em relação a quartos de hotéis. A rede Sheraton já anunciou que vai ter sua rede de hotéis com portas compatíveis com o Apple Watch que poderá ser usado para destravar a porta do quarto. Será um longo processo de troca de todas as trancas de portas e vai levar ainda mais tempo para chegar ao Brasil.

NewImage

Por fim, o relógio da Apple pode ser usado ainda como um substituto daquelas pulseiras de saúde que monitoram sua atividade física e também sono durante a noite. Este último acredito que não faça muito sentido, pois a bateria deveria ser preferencialmente carregada durante a noite, dado que ela não dura muito tempo.

Mercado

O Apple Watch não é o primeiro relógio inteligente. Existem outras opções até mesmo mais bonitas como o relógio da LG (a ser lançado) e o da Motorola (Moto 360). Os da Samsung nem levo em consideração, pois o tempo de vida deles é tão curto, que parecem mais experiências pontuais da empresa coreana que já não é mais referencia no mercado Android. 

Em 2014, apenas 720 mil relógios com Android foram vendidos. Grande parte da Motorola. 720 mil pode ser um bom número, mas se tratando de tecnologia é numero bastante tímido. O motivo para as vendas serem tão baixas é porque o Android Wear não é muito bom e o tempo de bateria dos dispositivo consegue ser ainda pior.

O Apple Watch parece não ter tempo de bateria muito melhor, mas ainda é cedo para condenar o relógio esforçado da Apple.

Recomendação

Minha recomendação é esperar pelo menos sairem as primeiras avaliações no mundo real. Isto quer dizer que na primeira semana serão escritos um sem número de avaliações, mas as que realmente contam são as que serão escritas depois de 1 mês. Depois disto poderemos saber se o Apple Watch é um relógio inteligente, um relógio esperto ou um relógio esforçado. 😉

Se você quiser comprar um independente do que for escrito, o mais recomendado é comprar o modelo mais barato que custa os 349 dólares. Ele parece ser o mais frágil, por conta do vidro e do acabamento em alumínio, mas considerando que a segunda geração terá mais sensores, tempo de bateria (ligeiramente) melhor e talvez com design diferente, nada mais lógico do que gastar menos com um dispositivo que será trocado nos 18 meses seguintes com a nova geração.




Leia Também


Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: