O iPhone por quem já teve um na mão




Antes que você ache que eu tive a oportunidade de ter um deste na minha mão, digo logo que não fui que quem brincou com o iPhone. Foi o editor do Chicago Sun-Times. Andy Ihnatko passou 45 minutos brincando com o iPhone e a conclusão dele é que o primeiro novo celular do mundo é simplesmente perfeito.

O Andy fez 7 tópicos que eu comento aqui. Primeiro ele fala da tela sensível ao toque. Ele adorou, mas avisa que a tela só funciona se o dedo tiver contato direto com a tela. Isso quer dizer que o iFinger que eu comentei anteriormente pode não se tornar realidade, mas com este nome também seria difícil mesmo! 😉

O teclado virtual é um avanço em relação aos tecladinhos de muitos smartphones. A tela é grande e dá espaço para as teclas virtuais serem maiores, sem falar que existe uma inteligência atrás do teclado então ele corrige o que você escreve. O exemplo que ele dá é que ao digitar “Tuesday” o iPhone sabe que se você apertar acidentalmente a letra “D” ao invés de “E” ele aceita o “E”. Portanto ele não escreveria “Tuedsday”. Isso foi o que eu entendi. Parece uma evolução em relação ao T9. Isso pode querer dizer que o iPhone tem um dicionário interno em inglês para evitar seus erros de digitação. Ruim para nós que falamos português. Se não existir um dicionário em português perderemos mais uma funcionalidade se optarmos por comprar este aparelho lá fora para usá-lo aqui no Brasil.

A tela é realmente um caso de amor. Andy diz que nunca viu uma tela tão nítida. Até o menor dos textos pode ser lido. Lembrando que a tela tem 160dpi. Já os programas estão inacabados. Faltando 6 meses para o lançamento alguns dos aplicativos mostram apenas uma tela de como a aplicação será. E acredito que a única má noticia é que os softwares só serão feitos pela própria Apple. Um pode até achar que isso tem a ver com a loja iTunes, e eu também acredito nisto, mas é possível que a Apple esteja tentando evitar que programas de terceiros causem erros no iPhone. Andy acha que deve acontecer a mesma coisa que aconteceu com o jogos para iPod. Eles até permitirão que terceiros desenvolvam softwares para o iPhone, mas eles só poderão ser instalados no iPhone se forem assinados pela Apple, algo como uma certificação de qualidade para manter a imagem do hardware da Apple.

A última coisa que ele comenta é sobre o fato do iPhone rodar OS X. Apesar de rodar, ele deixa claro que não será possível usar aplicações do desktop no celular.

Eu gosto do iPhone, mas acho pouco provável que ele aporte oficialmente aqui no Brasil. A Oi tem grande interesse de trazer o bicho para o Brasil, mas as demais operadoras parecem perdidas com seu papel e objetivos para o Brasil. O iPhone é muito mais do que os celulares de hoje. Ele tem alguns serviços que estão ligados a infra estrutura de serviços da operadora. Por isso Steve Jobs fez um contrato de exclusividade com a Cingular nos EUA. Veja mais no G1.




Leia Também


Deixe um comentário

3 Comentários

  1. Concordo 100% com o Andy, mas se houver uma forma de comprar o iPhone desbloqueado, acho que a partir de junho já vão pintar uns aqui no Brasil, embora não por vias oficiais.

    Eu quero um de qualquer forma, mesmo se não puder usar o visual voicemail e se não puder comprar músicas no iTunes.

    Responder
  2. minha preocupação é em relação ao sistema de auto-correção de texto digitado. Se ele não tiver o dicionário para português, o iPhone será um celular que toca MP3 caro demais para colocar no bolso.

    Responder
  3. O que eu queria mesmo era que fosse lançado um iPod com a tecnologia e a tela do iPhone, mas sem o celular. Quem sabe não é uma das próximas novidades da Apple?

    Responder

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: