OLED foi, mas não foi…




A Sony era a única empresa que fabrica televisores que vendia equipamentos de OLED. Reparou no tempo verbal? Então. Ela não vende mais seu produto XEL-1 que tinha 11″ e usava OLED ao invés de Plasma ou LCD. Pelo menos a regra vale para o mercado japones, porém ainda em comercialização nos EUA e alguns outros mercados.

OLED sempre foi considerado muito melhor do que LCD ou Plasma por não precisar de backlighting, consumir menos energia (cerca de 70% menos que o equivalente LCD) e ser capaz de reproduzir cores mais fielmente. Eu já vi um televisor destes em funcionamento e digo que as cores são realmente fantásticas. Sem falar que o nível de preto é absurdo.

Existem vários desafios para televisores OLED. Primeiro o preço. Você pagaria 2100 dólares por um equipamento de 11″? Nem a pau Juvenal. O processo de fabricação parece ser o grande limite para o tamanho da tela e para ser economica e tecnicamente viavel fazer um televisor de 40″ com LED, ainda vai levar um bom tempo.

Se a Sony tirou seu barco do mar do OLED, a LG parece ter levantado suas âncoras para aproveitar o vacuo deixando pela empresa japonesa. A LG tem um modelo de 15″ chamado EL9500 que custa 2600 dólares (aproximados) e que é capaz de mostrar imagens em 720p e um modelo de 20″ pode vir em breve. Samsung ainda acha prematuro vender produtos com esta tecnologia e deve focar em criar telas capazes de reproduzir imagens em 3D.

Apesar disto tudo, tem gente apostando em OLED flexível. A ModisTech pretende lançar sua tela de OLED flexível até o final do ano a preços razoáveis. É sério.

Veja mais aqui.

Via Slashdot.




Leia Também


Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: