Stirling Engine: energia verde??




Stirling Engine é um motor que funciona apenas com a diferença de temperatura entre o fluido de seu ciclo fechado. Inventado por Robert Stirling em 1816, o motor tem partes móveis, mas não produz calor, tão pouco barulho. Apesar de não produzir calor, seu funcionamento depende de calor, já que o que ele faz é mover os pistões a partir da expansão e compressão de gases de seu ciclo fechado a partir de fontes de calor externas.

Não entrar no detalhe de como é o funcionamento deste tipo de motor, prefiro apontar para o artigo da wikipedia que explicar tintin por tintin.

Abaixo está um video mostrando um motor destes em funcionamento.


Solar Powered Low Temperature Stirling EngineFunny blooper videos are here

Por que este motor nunca chegou às notícias populares? Bem, dificuldades técnicas e custos. Estes motores dependem de gases que expandem e se contraem com a diferença de temperatura de dois repositórios. Escolher o melhor gás para a faixa de variação de temperatura não é tarefa fácil. Sem falar que você precisa de uma fonte externa de calor.

Existe uma empresa americana chamada American Stirling Company que vende motores e ainda literatura a respeito destas “tecnologia”.

Este tipo de motor pode talvez chegar a ser mainstream para gerar pequenas quantidades de energia elétrica a partir de fontes de calor como geladeiras, TVs e computadores. Isto mesmo, computadores. Não que o seu computador vai diminuir a conta de luz, mas você vai deixar de consumir energia para alimentar o cooler do processador. A MSI apresentou este ano um modelo de placa mãe que tem um cooler que utiliza o conceito Striling. Tem vídeo e explicação nesta página.

Sabia mais sobre este motor aqui




Leia Também


Deixe um comentário

2 Comentários

  1. Um protótipo gigante de um motor desses foi feito por dois malucos de um programa da Discovery (são ingleses e sempre buscam alternativas baratas e não poluentes para alguns problemas enfrentados pelas pessoas comuns).

    O tal protótipo não funcionou muito bem, principalmente por causa do tamanho e dos materiais que foi usado, mas está valendo.

    Abraço

    Responder
  2. Eu acho que eu já vi este programa. Ele não passa no Nat Geo? Reaproveitar energia é o máximo, mas atualmente precisa de alta tecnologia e de precisão para conseguir aproveitar as idéias bacanas que são de séculos passados.

    Responder

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: