Tablets e espertofones: mudanças?




Esta semana foi agitada em todos os sentidos. Não tive tempo para acompanhar as novidades como de costume eu faço nas manhãs de todos os dias (ou no final do dia) e grande acontecimentos me pagaram de surpresa. As duas últimas realmente importantes foram a carta de Jobs sobre o Flash e a compra da Palm pela HP.

Esta última foi a que mais me impressionou, mas certamente é a menos importante em linhas gerais. A Apple sempre foi uma empresa de computadores, se movimentou para o lado da mobilidade com seus fantásticos notebooks e em 2007 resolveu cair de boca no mercado de smartphones. Receita de sucesso, afinal, esperasse vender mais espertofones no planeta do que computadores.

A Dell fez caminho similar. Agora ela além de vender computadores de mesa e portáteis, também vende telefones espertos. Por fim, a última grande empresa de computadores, por que a Lenovo, Acer e demais concorrentes fazem para mim apenas figuração, também entrou na disputa dos smartphones. Comprou a Palm e agora tem todas os nichos de TI atendidos. Desde servidores até ao telefone passando por impressoras.

A compra da Palm pela HP, porém, trouxe um novo capitulo para a história dos Tablets. Hoje existe o iPad e meia dúzia de outros equipamentos sem importância neste nicho. Esperava-se que o tablet da HP e o Courier da MS fossem fazer algo de importante no mercado como o iPad fez para o mundo da maçã, mas ambos os projetos foram cancelados.

Para quem não lembra, o Courier é um conceito da tablet que a MS apresentou e não deve sentir as mãos de consumidores tão cedo. Talvez ele volte no futuro, mas quem vai saber? Leia sobre o seu cancelamento aqui.

Voltado à HP e seu tablet, parece que ele também foi cancelado, pelo menos no formato no qual ele foi apresentado em janeiro. O motivo para o cancelamento é mais do que óbvio. A Palm tem um sistema operacional de smartphone que pode trazer grande benefícios em termos de performance e tempo de bateria para o tablet e fazer com que o equipamento da HP seja realmente um concorrente do iPad. Quem saiu perdendo nesta história foi a Microsoft que sente-se ameaçada em mais um frente agora, já que a HP tem folego de colocar o WebOS da Palm para disputar mercado com Android, iPhone OS e o Windows Mobile 7, que tem apenas grande apelo nos espertofones da HTC.




Artigo Anterior

Leia Também


Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: