TV Smart: Pra que serve?




Há alguns anos eu comprei um televisor com função smart. Usei esta função duas vezes. A primeira para conhecer e a segunda para ter certeza de que era uma merda. A frase anterior é bem exagerada, mas no fundo, as “TV Smarts” não são tão smart assim.

Conheço diversas pessoas que tem este tipo de televisor, mas poucos usam a função. Os que usam, normalmente a usam para assistir vídeos no Netflix. Não conheço outro uso vencedor. Não sou contra que televisores sejam espertos como os relógios. Acho que tem um grande potencial que televisores sejam espertos e eles devem alavancar uma série de novos serviços e produtos, mas…

TV Smart não segue um padrão

Entre os fabricantes não existe um padrão para que apps sejam desenvolvidos. A LG tem um, Samsung outro e os demais certamente tem seus próprios. Foi apenas recentemente que alguns fabricantes resolveram adotar o Android TV, ou um nome muito parecido com este, que é a visão da Google para ter presença de seu ecossistema nos televisores.

Espero que este movimento seja vencedor, pois as incursões da Google no mercado de televisores falhou miseravelmente em todas as suas tentativas. Isto trará mais desenvolvedores, desde que o hardware seja algo que consiga satisfazer a criatividade de quem cria o app. Prevejo que o hardware não será controlado e cada fabricante terá uma visão diferente, tal qual acontece nos smartphones.

NewImage

Hoje os smartphones, na verdade esforçado-phone, já tem este problema. Querendo baixar o custo do aparelho, fabricantes colocam processadores mais antigos e com baixo poder de processamento, tornando a experiência de usar um app ruim. Este pode ser um potencial problema no futuro, caso a Google não crie requisitos mínimos ou um padrão para rodar o Android TV.

Como fazer upgrade?

Antigamente, quando se montava PCs com diversas peças de fabricantes diferentes era fácil fazer atualização tecnológica. Basta tirar o HD antigo e colocar o novo, o mesmo vale para a placa de vídeo, placa mãe, gravador de CD/DVD/BR…  As vezes nem era preciso trocar a placa mãe para trocar o processador. Tem algumas restrições para isto, mas o importante é que fazer o upgrade poderia ser feito por partes. O monitor, dificilmente era trocado.

NewImage

Num televisor com processador interno para ser smart, não tem peças móveis. Para fazer a atualização tecnológica é preciso trocar o televisor por um novo. Acho isto muito ruim. Televisor é algo que deveria durar pelo menos 10 anos. Se a parte smart fosse tipo um cartucho, seria muito mais fácil de trocar.

A troca do televisor tem hoje outro motivador. Resolução. Temos o FullHD, já existe o UHD e depois disto vem pelo menos mais dois padrões de maior resolução. O problema é que não existe conteúdo ainda nestas resoluções ou se ele existe, é restrito. Aqui no Brasil a gente nem tem todos os canais da TV por assinatura em HD e os canais abertos, apesar de já estarem serem transmitidos em HD desde 2007, ainda tem seu antigo canal analógico disponível. 

Ou seja, resolução é um motivador técnico, mas sem conteúdo, nada feito. Televisor deveria durar os 10 anos que falei.

Mas, pra que fazer upgrade então? Bom, se você tem um smartphone entende que ele fica lento a medida que você vai incluindo novas funcionalidades e o seu sistema operacional evolui. Você pode até argumentar que não precisa fazer upgrade do sistema operacional e manter sua agilidade como era quando ele saiu da fábrica. 

NewImage

Acontece que o mercado não é assim. Todas as empresas querem conquistar mais clientes e ao trazer novidades e mais importante, implementar correções, o sistema operacional e os apps ficam mais elaborados, complexos e demandam mais poder de processamento, espaço em memória e de armazenamento.

Se o netflix lançar novas funcionalidades ou evoluir seu sistema de streaming para algo mais eficiente, como fica o app antigo no sistema operacional antigo? Oras, ele pára de funcionar. O que você deveria fazer então? Atualizar. O software, não o hardware.

NewImage

Este é o problema numero dois. Upgrade do hardware. Por isto gosto do Apple TV, ainda que suas funcionalidades seja bem limitadas. Quando ele deixa de ser útil, você compra outro. Televisor permanece.

Interface

Existem duas interfaces que são importantes. A interface de saída e a de entrada. Saída é o que você na tela da TV e a entrada é o controle remoto. Os televisores smart tem ainda alternativas. Alguns tem câmera que reconhece gestos e outros tem microfones para escutar comandos de voz. Ainda estas que parecem mais modernas (e são) também não são perfeitas. 

Basta lembrar do caso recente onde a Samsung foi pega fazendo pouco para proteger a privacidade de seus consumidores. O sistema de reconhecimento de voz é de feito por um terceiro e a transmissão da sua voz pela internet era feio sem criptografia.

NewImage

Voltando ao smart tradicional. Nenhum fabricante conseguiu fazer algo que seja realmente fácil e intuitivo para fazer conviver o conteúdo em vídeo com o conteúdo smart. Tem como competir com uma tela touch? Tem fabricante que tem teclado com o alfabeto inteiro no controle remoto, tem fabricante que imitou o controle do Nintendo Wii para controlar um ponteiro de mouse na tela do televisor, tem fabricante que usa o smartphone como interface de entrada para controlar o que aparece na tela.

Bom, o ponto é que hoje, interface é um problema para o televisor esperto. Nenhum fabricante ou desenvolvedor de apps fez uma solução que seja realmente útil. A interface é boa parte do motivo e o outro é a funcionalidade mesmo. O que me leva aos apps.

Apps

O televisor não é um iPad com gigantismo. Se no smartphone e no iPad fica fácil identificar apps legais, no televisor, não vejo um app que tenha feito sucesso. Tudo bem, aqueles jogos que reconhecem gestos ou comandos de voz até são interessantes, mas já existem os consoles de video game que fazem isto. E muito melhor. Tem o Netflix, mas ele não é bem um app, é mais uma porta de entrada para consumo de vídeo.

No celular e tablet, o app é feito para ser usado por UMA pessoa. Uma única! Singular. Televisor é normalmente uma experiência coletiva. Como fazer com que um app de smart TV seja relevante para todos que estão na sala assistindo um programa? O que me leva ao assunto de segunda tela. Neste caso se individualiza a experiência para depois consolidar o coletivo, mas a experiência de assistir TV é coletiva. Deveria existir na tela do televisor o painel das pessoas que estão assistindo naquele ambiente o programa que tem alguma interatividade. 

Hoje eu li uma matéria que diz que a TIM fez um app para smart TV que permite a recarga de celular pré-pago. Acho interessante, mas acho difícil que alguém prefira fazer a recarga do celular pelo televisor ao invés de fazer pelo site do banco ou por SMS.

Power Off

Problema final é que quando você desliga o televisor hoje em dia, você desliga a parte smart junto. Se o televisor é esperto, com apps e acesso à internet, por que não torná-lo o centro de entretenimento da casa e mais do que isto, central de comando e comunicação?

Hoje quem tem desempenhado este papel de central de controle são alguns poucos NAS (network attached Storage) que são caixas de armazenamento que tem um processador interno capaz de rodar uma versão light de linux e que permite rodar alguns sistemas feitos em python ou PHP. 

Funcionam muito bem. Ainda que de maneira amadora, tem ainda uma nova opção que são sistemas de automação baseados no Raspberry pi. Gente, por que não utilizar o televisor? Imagina o televisor com uma conta de Skype rodando 24 horas por dia. Diga adeus ao uso do telefone fixo!

NewImage

Isto só é possível se a parte smart do televisor continuar funcionado depois de você desligar a parte de vídeo.

Então, serve pra que?

Serve para muita coisa, mas hoje é apenas algo muito pequeno e pontual e poderia ser muito mais do que isto. Poderia ser algo muito mais próximo do que o smartphone e o tablet são, mas são muitos problemas. 

Sim, são muitos problemas, mas são também diversas oportunidades. Quem descobrir a receita para resolver estes problemas, ganha espaço e a corrida para o televisor smart de verdade. Google saiu na frente, mas acredito que a Apple deve em breve dar sua cartada. Tem gente esperando isto há pelo menos 4 anos.




Leia Também


Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: