Visita a fábrica de impressoras da HP




No dia 20 de outubro fui visitar a fábrica de impressoras da HP. Eu estava com uma expectativa bastante alta, pois nunca tinha visitado uma fábrica de tecnologia antes. Já estive em fábricas de móveis, comida enlatada e de software, mas nunca numa fábrica de tecnologia.

O email com o convite já veio com uma penca de recomendações. Solado precisa ser do tipo A, não pode levar celular, não pode tirar foto, não pode, não pode, não pode. Na minha cabeça logo me veio aquela imagem de que precisaria usar toca e um protetor no sapato. Para minha decepção nada disto foi necessário. Apenas um jaleco vinho foi necessário para entrar na fabrica que tinha apenas um pequeno ambiente com pressão positiva, onde naturalmente não entramos.

Depois de sair de São Paulo, fomos para uma cidade vizinha onde a planta da Flextronics fica. A Flextronics é responsável pela montagem das impressoras laser e jato de tinta da HP aqui no Brasil e esta é a única fábrica que produz impressoras HP fora da Ásia. Desde sua inauguração no final da década de 90 foram produzidos mais de 20 milhões de impressoras.

Fato curioso é que as impressoras jato de tinta são totalmente montadas aqui no Brasil, porém as impressoras laser tem parte do seu mecanismo importado pronto e a montagem por aqui é bem mais simples e rápida.

A área onde as impressoras são montadas é bem grande e o barulho é grande. Muitas pessoas em diferentes linhas de montagem dos quase 10 modelos que são montados fazem muito barulho e em diversos momentos lembrei do filme Tempos Modernos. Fiquei impressionado como o processo de montagem dos equipamentos é manual. Não existe praticamente nenhum processo automatizado com robos. Eu pelo menos não vi um destes processos.

Igualmente grande é a área de estoque, onde ficam as impressoras finalizadas e as peças necessárias para sua montagem. Atualmente em fase de transformação, a fábrica da Flextronics está implantando o RFID para rastreamento dos equipamentos montados (ainda na linha de montagem e depois de montados). Os ganhos são fantásticos em tempo e rastreamento.

Uma das minhas curiosidades eu matei com duas perguntas. Entre a impressoras receber sua primeira peça, até sair após o teste, para garantir que ela está funcionando corretamente, decorrem 90 minutos, mas a cada 30 segundos sai um equipamento novo da linha. já entre a HP entregar um projeto de novo equipamento e ele sair da linha de produção são quase 9 meses.

A planta da Flextronics é responsável por fornecer impressoras para todo mercosul e pode eventualmente abaster outros mercados caso seja necessário. Os equipamentos fabricados só são embalados nas caixas e abastecidos com manuais, CDs de drivers e cabos no momento que um pedido é feito. Neste meio tempo eles ficam armazenados de uma maneira alternativa que prioriza espaço.

A preocupação com sustentabilidade também é vista na linha de produção. Muita reutilização é vista e dentro da própria planta existe uma célula capaz de reaproveitar cartuchos.

Sobre os cartuchos é importante falar duas coisas. O que é reaproveitado é o plástico e não o cartucho para ser recarregado. Segundo a HP, recarregar cartuchos é a pior coisa que você pode fazer. O correto é dar destino apropriado ao cartucho para que ele seja reciclado. No caso da célula dentro da Flextronics, os cartucho tem o plástico triturado que depois é utilizado para fazer algumas peças utilizadas em impressoras novas.

Dentro da planta ainda são impressos várias páginas de teste para verificar alinhamento dos equipamentos recém montados. Estas páginas são utilizadas depois em seu verso para impressão nas áreas administrativas da HP e por fim são recicladas e viram as partes de cartolina onde a impressora vai acomodada dentro da caixa que você compra.




Leia Também


Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: